sábado, 11 de julho de 2009

O Homem



O Homem

Ouço o galopar do cavalo

Não, não é o príncipe encantado

É o cavalo do homem e sua devastação

Ouço choro e risos

Não, não é de uma criança

E sim choro dos homens oprimidos

E os risos dos homens opressores

Ouço, sinto, e sei

Que o aviso foi dado

Não, não a qualquer um, mas a você:

Homem


Autor (Eu) Guiovan C. de Oliveira

7 comentários:

Eloine disse...

:O
Belo poema,para um homem (nada.haver)

Alexandre Silva disse...

Eu ñ entendo de poesias não, mas... toda forma de expressão de idéias é válida! Parabéns pelas letras...

Abcs

Wanessa Lins disse...

Pela mensagem!
A imagem combina perfeitamente... hoje em dia tudo é produto. Tudo é motivo de troca, ganho e lucro!

:**
Beijooos



http://wanessalins.blogspot.com

Camis disse...

Querido, te indiquei a um selo
pega lá com as regras no post 'selos e afins'

www.teoria-do-playmobil.blogspot.com

Plugado disse...

Kra legal seu poema .. sucesso com o blog

visite o meu quando puder
http://www.fiqueplugado.com/

BRUNO disse...

Ouvi uma frase que dizia que, quando chegam os homens, eles trazem cobiça, desgraça, ganância, mas, antes disso, progresso. Acho uma ótima análise. Mas esse seu txt é ótimo, é quase que uma desmistificação das fábulas. Perfeito. Abraço amigo!

Beto Uchôa disse...

Mano que loko isso, eu estou tendo que ler um livro pra facul, " pedagogia do oprimido "
E eis que leio sua poesia, muito bom mesmo, se me permite irei usar a mesma em meu trabalho em teu nome.
Parabéns mano.
abraço